English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By tecnicoemagropecuaria.blogspot.com

Procure no blog o assunto

Para pesquisar um assunto de seu interesse aqui no no blog, digite uma palavra chave na tarja branca acima e clique em pesquisar.

15 de janeiro de 2011

Áreas rurais. A tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro

Fonte: foto do blog do Amaral
Em solidariedade aos familiares, sobreviventes e vitimas atingidas pelos deslizamentos provocados pelas fortes chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro, deixaremos de publicar este mês, assuntos relacionados às áreas rurais agrícolas de Minas Gerais, por ocasião de nossa visita aos municípios de Sabará, Santa Luzia e Taquaraçu de Minas. Os assuntos previstos são: culinária e cultura do Ora-pro-nobis, qualidade do leite e seus derivados em pequenas propriedades, falta de orientação técnica por parte das secretarias municipais e o desconhecimento da legislação e benefícios nas ações sociais do governo federal.
Acompanharemos ações de resgates nas áreas rurais atingidas, como: Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis e Sumidouro. Transcreveremos notícias e imagens dessas localidades, bem como, citaremos as fontes de informações dessas ações.
Cabe esclarecer, que este blog não tem o perfil de noticiar assuntos que não sejam de interesse estudantil, de formação técnica e relacionada à agropecuária e agroecologia. Mais, diante da catástrofe ocorrida, é interesse noticiar os acontecimentos das áreas exclusivamente agrícolas que foram destruídas, onde residem e trabalham pequenos agricultores, da agricultura familiar, e principalmente, profissionais que atuam ou que estavam estagiando nas atividades da agropecuária e que precisam de ajuda e orientação.

Nesse momento, toda a ajuda é bem vinda e todas as ações são prioritárias. O que deve ser feito, é o encaminhamento de equipes especializadas, exclusivamente para estas áreas, pois, só a agricultura familiar da Região Serrana, somam 17 mil produtores que sobrevivem da atividade e movimentam cerca de R$ 850 milhões por ano, por tanto, não podem ser esquecidos.